segunda-feira, 17 de agosto de 2015

[RESENHA] COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ - JOJO MOYES



ISBN-13: 9788580573299
ISBN-10: 8580573297
Ano: 2013 / Páginas: 320
Idioma: português 
Editora: Intrínseca


"É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível"

SINOPSE

Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.
Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.


RESENHA

Existem tipos de livros e que se enquadram perfeitamente às pessoas, se tornam legais, outros emocionantes, nos fazem refletir etc. Eu, particularmente, gosto de livros que me fazem pensar a cerca da sua estória durante uma semana seguida, ainda digerindo o final, na mais completa RESSACA LITERÁRIA. Após ler o livro "Como eu era antes de você" tive certeza que qualquer pessoa que o lesse se sentiria da mesma forma que eu me senti, nesse misto de emoções: triste, chorosa, apaixonada, tocada, entorpecida, furiosa, apaixonada e chorosa novamente. Esse é o tipo de livro que deveria vir como brinde uma caixinha de lenço de papel (como a Intrínseca não pensou nisso ainda?).

Ao julgar o livro pela sua inocente capa com flores minúsculas e passarinhos você imagina se tratar de um romance água com açúcar que vai ser bonitinho, mas esquecerá de alguns trechos dele em menos de um mês. Mas a inocente capa não tem nada a ver com o livro. NADA MESMO.

Jojo Mayes nos traz um tema já muito falado: a deficiência física, nesse caso a tetraplegia. Mas nos mostra de uma forma que nos sensibiliza e faz com que percebamos quão difícil deva ser, quão insuportável possa ser ver a sua vida passar preso em uma cadeira de rodas (mesmo que essa seja das mais modernas). A autora também nos mostra as dificuldades que os cadeirantes passam durante o dia-a-dia e como uma simples ida à padaria, por exemplo, pode desencadear tantos transtornos
.
Will e Lou são tão carismáticos, com um timing e uma química perfeita que me peguei rezando para que tudo desse certo, dizendo: não tema, Carol. Como em uma história da Disney eles também terão um final feliz. Mas quem sou eu para dizer qual é o final feliz de um personagem? Qual é o final feliz de alguém? O que eu considero ser felicidade para a pessoa será a mesma coisa que ela considera para si própria?

Muitas perguntas me golpearam após terminar o livro e posso dizer que ele além de lindo, emocionante, triste e engraçado ao mesmo tempo, bla bla bla, nos traz uma lição de vida, muitas aprendizagens em 320 páginas e devo confessar: chorei após terminá-lo por quase 4 horas sem parar, tipo o recorde da chorona aqui HAUHA (acho que só perde para "A esperança", porque né, sem comentários)

P.S. O livro não mostra a vida de Will antes da chegada de Lou, mas sim como Lou era antes de entrar na vida de Will e como ela amadureceu e evoluiu após o novo emprego!

Nenhum comentário:

Postar um comentário