domingo, 29 de novembro de 2015

[#BOOKTAG] JOGOS VORAZES E TODO O AMOR DO MEU CORAÇÃO


Fui marcada no instagram na #TagJogosVorazes e vou responder aqui com todo o amor que possuo as perguntas sobre esses livros que dominam o meu coração. O que mais me motivou a participar dessa tag foi a oportunidade de mostrar às pessoas o que essa trilogia representa, a forma como essa distopia mudou a vida de seus leitores, então as perguntas e as respostas estão logo abaixo
---
1. Peeta ou Gale?
Não é que não goste do Gale, não é isso. Acho que ele merece ter um final bem feliz, porém é IMPOSSÍVEL não amar Peeta, é impossível não se comover com aquele coração enorme e abnegado, que se preocupa mais com a felicidade da mulher que ama do que com a sua.
---
2. Estilo da Effie ou do Cinna?
Com certeza o do Cinna, né?! E nem é só comparando-o a Effie, acho o estilista um dos caras mais estilosos da literatura.
---
3. Ser  avox ou ser picado por uma teleguiada?
Pergunta difícil haha eu que sou uma matraca ambulante teria muito dificuldade em não conseguir expressar meus sentimentos e idéias pela fala, porém também imagino como deve ser horrível não saber mais quem se ama ou que te ama após ser picado por um teleguiada... Mas mesmo assim, ainda prefiro a segunda opção haha
---
4. Se juntar aos carreiristas ou correr para as montanhas?
Tipo Maze Runner agora, correr ou morrer haha
---
5. Ser o símbolo da revolução ou ser escravo da capital?
Com certeza ser o símbolo da revolução, mesmo sabendo que eu jamais conseguiria fazer isso haha
---
6. Qual o seu livro preferido da trilogia?
Difícil ter uma resposta, amo todos, mas acredito que "A esperança" pela conclusao épica da Collins.
---
7. Quanto tempo você duraria nos Jogos Vorazes?
Poucos minutos, com certeza haha
---
8. Qual distrito você moraria?
No 4, com certeza, pois amo água, peixe, mar e o Finnick haha
---
9. Atirar flechas ou facas?
Acho lindo atirar flechas, mas acho que não seria boa em nenhuma dessas opções, estou mais para fazer camuflagem como o Peeta haha
---
10. Momento mais emotivo do livro/filme para você?
Poderia escolher tantas partes, pois o que nao falta na trilogia é luta, emoção e quotes lindos,
Poderia escolher o momento em que Prim é sorteada e Katniss vai aos Jogos Vorazes como voluntária no lugar da irmã, a morte da pequena Rue, quando Peeta vira voluntário para ir ao massacre quaternário ao lado da amada, a morte de Cinna, quando Katniss é perseguida na arena pelos gaios tagarelas , quando Peeta abre a mão da suafelicidade mostrando a Katniss que ela precisa sair com vida daquela arena, porém ela percebe que realmente o ama e que ficaria destruída caso o filho do padeiro morresse, a depressão que abate Katniss no distrito 13, a volta de Peeta da capital completamente transtornado após ser telessequestrado, todas as cenas envolvendo Finnick no livro "A esperança" (depressão, casamento, segredos, sua última batalha), a última e mais devastadora perda de Katniss... Mas escolho o último capítulo do livro "A esperança" e o epílogo. Com certeza, o trecho com Buttercup é demais pro meu coração :(
---
11. Qual o personagem mais parecido com você?
Peeta, com certeza. Pelo menos é esse nível de bondade que tento alcançar diariamente na vida!

"- Porque não quero que você se esqueça de como as nossas circunstâncias são diferentes. Se você morrer, e eu continuar vivo, acaba a vida pra mim no Distrito 12. Você é toda a minha vida - diz ele. - Eu nunca mais seria feliz. - Começo a me opor, mas ele coloca um dedo nos meus lábios. - Para você a coisa é diferente. Não estou dizendo que não seria difícil. Mas existem outras pessoas que fazem com que a sua vida valha a pena ser vivida."

domingo, 8 de novembro de 2015

[RESENHA] A RAINHA VERMELHA - VICTORIA AVEYARD


SBN-13: 9788565765695
ISBN-10: 8565765695
Ano: 2015 / Páginas: 424
Idioma: português 
Editora: Seguinte


"Nos contos de fadas, a garota pobre sorri ao se tornar princesa. No momento, não sei se voltarei a sorrir algum dia."

SINOPSE

O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.

Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?

Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.




RESENHA

O Romance distópico de Victoria Aveyard nos mostra um pouco do mundo de Mare, uma vermelha em um país dividido entre prateados, pessoas especiais, com poderes e riquezas, e vermelhos, pobres, humilhados, sofridos e que são obrigados a ir para campos de concentração. A garota vive com seus pais e sua irmã Gisa e sempre foi uma rebelde, nunca concordou com a forma do governo e com o sofrimento do seu povo, com a demonstração dos poderes dos prateados e com a forma que os poderosos humilhavam os meros mortais de sangue.

Mare está preparada para ir à guerra, porém sua vida muda drasticamente e ela acaba se tornando uma das empregadas do palácio real. Em uma batalha épica onde os prateados mostram seus poderes e se desafiam entre si, ela acaba descobrindo que assim como eles, também possui poderes correndo em seu sangue vermelho. Para que a população não fique sabendo desse escândalo o rei a rainha transformam Mare Barrow em uma prateada perdida e na princesa da nação, o que pode lhe trazer problemas, amores, segredos, mentiras, lágrimas e a salvação do povo vermelho.

Eu AMEI o livro e o coloquei na minha lista de preferidos do ano. Esse lançamento já chegou e se tornou um dos mais vendidos do ano e já ganhou adaptação para o cinema e não é para menos: uma história envolvente e cheia de reviravoltas. E aquele final? Como sobreviver após ele?
Amo livro em primeira pessoa, amo distopia e amo livros que falam sobre poderes, ou seja, "A rainha vermelha" realmente conquistou meu coração. Agora espero, ansiosamente, o lançamento da sua continuação em nosso país.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

[LANÇAMENTO] "P.S. I STILL LOVE YOU" NO BRASIL!

SEGUREM TODOS OS FORNINHOS!
A Editora Intrínseca revelou que o lançamento da sequência de "Para todos os garotos que já amei" será no primeiro semestre de 2016.
Ai, ai, ai, haja coração para aguentar a ansiedade e a espera para saber como Lara Jean irá resolver o último problema em que se meteu, se irá ou não ficar com Peter e o que irá acontecer com a vaca da Gen.

Então vejam a capa do livro (não se sabe se será a mesma capa no Brasil) e a sinopse, já traduzida, do segundo livro da trilogia:


"Lara Jean não esperava se apaixonar de verdade por Peter. Eles estavam apenas fingindo. Até que não estavam mais. E agora Lara Jean precisa aprender o que é estar um relacionamento de verdade e não apenas um de mentirinha. Mas quando outro garoto do seu passado retorna para a sua vida, os sentimentos de Lara Jean por ele logo voltam também. Uma garota pode estar apaixonada por dois garotos ao mesmo tempo? Nessa charmosa sequência de To All The Boys I've Loved Before, Lara Jean esta prestes à descobrir que se apaixonar é a parte mais fácil."

terça-feira, 3 de novembro de 2015

[RESENHA] PARA TODOS OS GAROTOS QUE JÁ AMEI - JENNY HAN

ISBN-13: 9788580577266
ISBN-10: 8580577268
Ano: 2015 / Páginas: 320
Idioma: português 
Editora: Intrínseca


"Talvez tenha sido por isso que você me beijou. Para ter controle mental sobre mim, para me fazer ver você desse jeito. Funcionou. Seu truquezinho funcionou. A partir daquele dia, eu passei a enxergar você. De perto, seu rosto não era exatamente bonito, mas angelical. Quantos garotos angelicais você já viu? Para mim, só havia um. Você. Acho que tem muito a ver com os seus cílios. Você tem cílios bem longos. Injustamente longos." 

SINOPSE


Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.


Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.



RESENHA

O livro é em primeira pessoa, na visão de Lara Jean, uma das três irmãs Song, a irmã do meio. Uma menina sonhadora, tagarela e romântica que ao se apaixonar, pelos motivos mais variados possíveis, por alguém, escreve uma carta afim de esquecê-los. Essas cartas não são entregues, são guardadas em uma caixa que ganhou de sua falecida mãe e assim ela segue a sua vida, sempre escrevendo e fazendo scrapbooks. Amando, escrevendo e esquecendo.

A família é composta pelo pai, as três irmãs - Margot, Lara e Kitty - e por Josh, o namorado de Margot. Quem administra casa, cuida do pai, define os trabalhos de todos e faz com que tudo verdadeiramente aconteça na casa é a sua irmã mais velha, Margot, que agora irá se mudar para a Escócia para fazer faculdade. Lara Jean já está sofrendo com a ausência da irmã e também com o fato de que agora ela será a nova administradora do lar. Antes de ir embora Gogo deixa várias instruções as duas irmãs de como fazer o trabalho que ela fazia e termina seu namoro perfeito com o cara perfeito.

Além de ter que lidar com os problemas de administrar o lar e seus medos, ela também se sente no dever de dar um apoio a Josh, porém enquanto tudo isso acontece, suas cartas são entregues, misteriosamente, aos destinatários e o ex-namorado de sua irmã é um deles. Agora cabe a Lara Jean ser a irmã mais velha e se portar como Margot faria para resolver esse problema, porém pode ser que esse problema se torne ainda maior e com graves consequências. 


GENTE, O QUE DIZER DESSE LIVRO?
Fazia tempo que não encontrava uma leitura que me emocionasse e me divertisse tanto quanto esse livro. Estava toda saltitante andando pela Saraiva afim de encontrar um bom livro para presentar uma amiga, eis que me deparo com esse, já era meu desejo lê-lo, então comprei um pra ela e um para mim, para que pudéssemos ler juntas. 
E foi aí que começou a minha história de amor por essa história, me identiquei muito com Lara Jean, seus pensamentos e fala rápida, a forma como não consegue manter a boca fechado, seu gosto pela culinária, sua vontade de ser uma boa irmã mais velha, seu amor pela família, o fato de ter medo de dirigir sozinha, não ser boa em gravar caminhos e o seu medo de se entregar, pois quem me conhece sabe o quanto eu prefiro, assim como Lara Jean, me esconder de muitas pessoas. Tenho as que amo em meu coração, tenho amigos, família e pessoas que me conquistaram, mas tenho uma dificuldade enorme em fazer amizade com novas pessoas.

Amei o livro, amei a escrita da Jenny, amei Lara Jean e os outros personagens, amei Josh, mas depois amei ainda mais o Peter, só não amei o fato de a sequência desse livro ainda não ter chego ao Brasil. Poxa, Intrínseca nos dê a alegria de lança-lo logo e de fazer a mesma coisa com o último livro da trilogia. Por favooooooooooor :)

"- Você só gosta de caras com quem não tem chances, porque tem medo. Do que você tem tanto medo?- Não tenho medo de nada.- Até parece. Você prefere criar uma versão idealizada de alguém na sua mente a ficar com a pessoa."

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

[RESENHA] OS 13 PORQUÊS - JAY ASHER

ISBN-13: 9788508126651
ISBN-10: 8508126654
Ano: 2009 / Páginas: 256
Idioma: português 
Editora: Ática


“Se você escuta uma canção que te faz chorar quando você já está cansado de lágrimas, não a escuta mais. Mas não dá para fugir de si mesmo. Não dá para tomar uma decisão de deixar de se ver para sempre. Não dá para tomar a decisão de desligar aquele ruído dentro da sua cabeça.”

SINOPSE

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

RESENHA
Depois de tanto me preparar para esse momento chegou a hora de resenhar o livro "Os 13 porquês - Jay Asher". Tal preparação se deu pelo fato de eu sempre procurar esse livro para comprar, de sempre tentar reservá-lo e só após 4 anos de busca conseguir comprá-lo. Deixo aqui também uma crítica construtiva a Editora Ática, pois um livro com uma procura tão grande como esse deveria ser mais fácil de encontrar, e nem estou falando de compras em sites de venda, não. Estou falando nas livrarias mesmo, ele sempre estava em falta. Hoje percebo que se ele fosse melhor divulgado e mais fácil de encontrar, ele seria bem mais conhecido do que é atualmente, pois é um ótimo livro, merecia ser melhor apresentado pela editora.
Trata-se de uma narrativa dupla, ou seja, uma narrativa dentro de uma narrativa, que nos conta um pouco sobre os últimos dias de vida Hannah Baker, uma adolescente que se suicida e deixa fitas com as 13 razões para sua morte, falando sobre os motivos, suas histórias, segredos e também sobre os culpados, como cada um teve influencia em sua última escolha na vida.
O livro começa com o ponto de vista de Clay (sendo ele o principal narrador da história). Ele recebe as 7 fitas cassetes e quando começa a ouvi-las fica horrorizado e já pensa em não escutar mais, pois ele não entende como pode estar na lista do culpados, já que era apaixonado pela garota, já que tentou ficar com ela numa noite em que tudo aconteceu errado... Porém se a fita chegou em sua casa é porque ele teve algo a ver com a sua morte, então ele deve ouvir e passar para o próximo da lista.
Mal sabia Clay que ele era uma das pessoas mais importantes daquelas fitas...
O garoto começa a escutá-las e a entender um pouco mais a pobre Hannah, que sempre foi conhecida por ser uma garota fácil, que se entregava rapidamente aos meninos da escola, porém não foi bem assim que as coisas verdadeiramente aconteceram. Desde o seu primeiro beijo, desde a primeira mentira sobre sua personalidade e então tudo foi virando uma bola de neve, uma bola que Hannah não teve forças para parar.
O que mais gostei no livro foi a escrita leve e sensível de Asher que nos faz sentir o que Hannah sentia, nos fazer entender todos os seus problemas e segredos e também ver como Clay se sentia ao saber da verdade e conhecer mais a garota por quem era apaixonado. Podemos sentir e sofrer junto com ele ao descobrir o motivo de estar nas fitas e a aflição que o mesmo sente quando percebe que pode ter escutado suas últimas palavas.
Um livro forte, tocante e simples, que nos faz pensar em nossas atitudes que, muitas vezes, são tão pequenos, mas que podem ser a fagulha que faltava para começar um incêndio em outra pessoa.