domingo, 3 de abril de 2016

[RESENHA] ESPADA DE VIDRO - VICTORIA AVEYARD

(Para ler a resenha do primeiro livro "A rainha vermelha" é só clicar AQUI!)





"O metal é forjado no fogo, não o contrário. Ele teria sobrevivido e governado. Para fazer o quê, não sei. Antes, pensava que conhecia o coração de Cal, mas agora me dou conta de que isso é impossível. Nenhum coração pode ser verdadeiramente conhecido, nem mesmo o meu próprio."


SINOPSE


“Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar.”

O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.


RESENHA


Vingança. 
É exatamente o que a garota elétrica quer.
Justiça. É também o que ela busca.
Proteger. É o que Mare vai tentar fazer com todos os de sangue vermelho com poderes que ela encontra.

O livro começa EXATAMENTE da onde parou o primeiro livro "A rainha vermelha" e ela precisa se preocupar com si mesma e também com Cal, já que agora o príncipe se encontra rodeado de inimigos que adorariam fazer com que o guerreiro além que deixar de fazer parte do grupo rebelde também deixe de existir.


Para o príncipe é ainda mais difícil. Cal nunca foi a favor da rebelião, mas ficar ao lado da Guarda Escarlate é a sua única chance de conseguir chegar a Maven. Por mais que discorde da opinião deles, por mais que sejam de sangues diferentes, é o único lugar que Cal tem parar ficar e assim vai sempre observando os rebeldes vermelhos.


Maven, por outro lado continua cada vez mais obcecado por Mare e já avisa que irá fazer de tudo para tê-la novamente ao seu lado. O que acaba mexendo e, muito, com a garota elétrica, por mais que ela saiba o quão mentioroso e manipulador ele possa ser!


Mare Barrow irá precisar crescer e ter muito foco para conseguir derrotar o novo rei, sua mãe, a rainha Elara e também proteger os novos vermelhos que ela tanto procura. Essa busca irá mudar a garota elétrica para sempre. Só nos resta saber se a mudança será positiva ou não.


O livro começou eletrizante prometendo ser uma trama distópica incrível, mas ao decorrer  das páginas ele foi perdendo a velocidade, chegando até a ficar chato em alguns momentos.

Sim, ele ficou bem chatinho!

Só continuei a história por sentir um amor muito grande por Cal e, ainda bem continuei! As últimas 70 páginas do livro melhoraram 200% e ficou até difícil lembrar o motivo que me fez querer abandonar a leitura.

A capa e a edição da Editora Seguinte, mais uma vez, perfeitos. Amo todas as capas da distopia e também os marcadores que vêm ao final do livro.

E o final?

Victoria Aveyard foi MUITO maldosa com os fãs da distopia. Que final é esse? Difícil agora é conseguir segurar a ansiedade e esperar até 2017 para ler a conclusão dessa trilogia distópica.

2 comentários:

  1. Ai, meu coração tá pedindo tanto esse livro, mas meu bolso é outra coisa </3 estou super ansiosa pra ler, e realmente vi pessoas falando que este livro foi mais chatinho que o primeiro.

    http://my-lifeasabookaholic.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu dormia lendo, Ju e quando acordava não fazia a menor ideia de onde estava, tinha que voltaaaar de novo... Foi mais chatinho o começo e o meio, mas O FINAL, nossa, foi demais!

      Excluir