sexta-feira, 29 de abril de 2016

[RESENHA] O PRIMEIRO ÚLTIMO BEIJO - ALI HARRIS


ISBN-13: 9788576864479
ISBN-10: 8576864479
Ano: 2016 / Páginas: 448
Idioma: português 
Editora: Verus


"Você pode me fazer uma favor? Quebre uma regra hoje, enlouqueça, viva o momento. Abra seu coração. Depois, abra mais um pouco. Ame muito, ame mais ainda. Não tenha medo de se expressar, de gritar, de ser ouvido. Diga EU TE AMO. Aposte todas as fichas. Aposte todas as fichas no amor. Por mim. Porque eu não fiz isso. E agora não posso mais.
Isso é tudo.
(Mas não o suficiente.)"



SINOPSE

“O primeiro último beijo” conta a história de amor de Ryan e Molly, de como eles se encontraram e se perderam diversas vezes ao longo do caminho. Na primeira vez em que eles se beijaram, Molly soube que ficariam juntos para sempre. Seis anos e muitos beijos depois, ela está casada com o homem que ama. Mas hoje Molly percebe quantos beijos desperdiçou, porque o futuro lhes reserva algo que nenhum dos dois poderiam prever…
Esta história comovente, bem-humorada e profundamente tocante mostra que o amor pode ser enlouquecedor e frustrante, mas também sublime. Na mesma tradição de P.S. Eu Te amo e Um Dia, O Primeiro Último Beijo vai fazer você suspirar e derramar lágrimas com a mesma intensidade.




RESENHA

"Como se agarrar a um amor que está lentamente lhe escapando por entre os dedos?"


Molly Carter conhece Ryan Cooper desde sempre e após uma adolescência de um primeiro beijo horrível que a fez morrer de ódio se encontram anos depois, começam um relacionamento e se casam.

Molly é aquela sonhadora, que vive o trabalho, ama a fotografia e gostaria de conhecer o mundo em seu trabalho, já Ryan é aquele professor de educação física, totalmente família, vive a sua vida pensando em família e voltando sempre ao abraço reconfortante da sua mãe. Duas pessoas tão diferentes com apenas ago em comum: o amor!

No livro vemos as dificuldades diárias de um relacionamento, vemos os erros e os acertos, vemos as frustrações, os momentos felizes, as dificuldades diárias, altos e baixos.

Vemos as nossas vidas, os nossos relacionamentos.

E, principalmente, vemos um casal que luta diariamente, às vezes até contra as suas próprias vontades e sonhos, em busca dos felizes para sempre. Mas muita vezes não é isso que o destino nos reserva, muitas vezes temos que reescrever o nosso destino!

Em "O primeiro último beijo", escrito por Ali Harris, vemos uma escrita em 1° pessoa narrada por Molly Carter e somos levados juntos com ela em capítulos no presente, reflexões sobre os beijos dados em seu relacionamento, passado não tão distante, passado muito distante, presente novamente... Eles não seguem uma ordem cronológica.

Somos levados a realidade difícil de qualquer relacionamento, aos arrependimentos inevitáveis que sentimos ao nos relacionar com pessoas, seja numa amizade ou no amor.

O livro possui possui 448 páginas, e nas últimas 150 páginas eu chorei constantemente e chorei muito ao terminar também, posso dizer com toda a certeza que foi o livro que mais chorei na vida! Mas também digo com toda a certeza, foi o melhor romance que já li na vida!

Após as lágrimas passarem vem os momentos de reflexões e acho que é isso que mais destrói nesse livro: a semelhança com a vida real, a semelhança com os nossos relacionamentos. Em muitos momentos me senti como a Molly, a pessoa chata no relacionamento, que fica sempre cobrando, que quer sempre mais, que resmunga, que não aceita o pedido desculpas e que não pede desculpas...


Além dessa reflexão também temos a questão mais importante: quando tempo das nossas vidas perdemos pensando em fazer e não ser?

Pois bem, eu sei que já pedi muito tempo nisso e que assim como Molly, não quero perder mais tempo, agora eu quero SER.


"Eu achava que tirar fotografias me faria enxergar melhor as coisas, congelar o momento, lembrá-lo para sempre. Mas percebo que a única maneira de fazer isso é viver o momento, não ficar atrás de uma lente. Nós não precisamos de fotos ou vídeos intermináveis, ou lembrancinhas, ou anéis de noivado para recordar esses momentos especiais, porque eles sempre estarão presentes. Mesmo que desvaneçam um pouco com o passar do tempo, um dia o sol vai brilhar no céus em certa manhã, de certa maneira, ou vamos encontrar algo há muito perdido, uma concha talvez, ou um cartão que vai chegar peço correio... e tudo virá à tona. E as lembranças serão boas, e saberemos que somos abençoados por tê-las."

NOTA DADA NO SKOOB:  ★+ (5/5)

Nenhum comentário:

Postar um comentário