domingo, 17 de abril de 2016

[RESENHA] - PASSARINHO - CRYSTAL CHAN



ISBN-13: 9788580575354
ISBN-10: 8580575354
Ano: 2014 / Páginas: 224
Idioma: português 
Editora: Intrínseca



"Não confiei em mim mesma para dizer nada. Até aquele dia, o penhasco era meu segredo, meu refúgio, onde ninguém poderia me encontrar; ninguém poderia me seguir escalando até aquele rochedo de granito; ninguém conseguiria entender o que o círculo de pedras poderia significar. O penhasco era o único que realmente sabia como era ser eu. Acho que eu havia desistido de tentar fazer com que outras pessoas entendessem. E não percebi que havia desistido de ter esperanças até aquele momento, pensando aquilo tudo, com John sentado ao meu lado."


SINOPSE

O avô de Joia parou de falar no dia em que matou o irmão dela. O menino se chamava John, e achava que tinha asas. Subia e saltava do alto de qualquer coisa, até ganhar do avô o apelido de Passarinho. Joia não teve a chance de conhecê-lo, pois Passarinho se jogou do penhasco bem no dia em que ela nasceu. Ainda assim, por muito tempo ela viveu à sombra de suas asas. Agora, aos doze anos, Joia mora em uma casa tomada por silêncio e segredos. Os pais culpam o avô pela tragédia do passado, atribuem a ele a má sorte da família. Joia tem certeza de que nunca será tão amada quanto o irmão, até que ela conhece um garoto misterioso no alto de uma árvore. Um garoto que também se chama John. O avô está convencido de que esse novo amigo é um duppy — um espírito maldoso —, mas Joia sabe que isso não é verdade. E talvez em John esteja a chave para quebrar a maldição que recaiu sobre sua família desde que Passarinho morreu. 


RESENHA

No livro "Passarinho" somos apresentados a Joia, uma menina de 12 anos, e a sua família. Seu avô não fala. Nada. Porém não é mudo. Ele simplesmente parou de falar, de olhar e de se importar após a morte de Passarinho. Passarinho deveria ser o irmão mais velho de Joia, seu melhor amigo, mas ao invés disso John, achava que podia voar e por isso ganhou esse apelido tão significativo e com 5 anos ele voou. Voou para um lugar muito distante no dia do nascimento da irmã e deixou para trás uma família devastada por sua morte.

Muitas lendas e segredos também envolvem a morte de Pasarinho, mas Joia não sabe de nada, pois seus pais sofrem a perda do irmão e acabam conversando pouco com a menina que nem chegou a conhecê-lo, pois ele morreu no dia do seu nascimento. E assim Joia cresce: tentando ser forte em meio a dor, tentando ser vista no meio da solidão.

Joia conhece John, sobrinho de um morador da pequena cidade em que vive e tem todos os motivos supersticiosos para tentar fugir dessa amizade. Porém finalmente alguém olha para ela, finalmente alguém a escuta e a entende, finalmente alguém se importa com seus sentimentos e após se sentir tão bem com essas novas sensações, a menina não irá querer viver na solidão novamente.

"Passarinho" é aquele tipo de livro que te emociona do começo ao fim, que fala de um assunto tão difícil quanto a perda com leveza e algumas vezes com uma escrita densa. Em diversos momentos do livro senti vontade de dar um abraço em Joia e a carregar nos braços. Em diversos momentos tive vontade de dizer a seus pais: olhem pra ela, a escutem...

O que mais gostei no livro, com certeza, foi o fato de que mesmo quando tudo estava difícil, mesmo quando ela não tinha amigos, mesmo quando a menina não tinha ninguém para conversar, ela nunca deixou de sonhar. Sonhava escondido, sonhava em segredos, mas sonhava e sonhava alto. 

Essa leitura nos mostra como algumas pessoas reagem após sofrer grandes perdas, a depressão em que se encontram quando não conseguem superá-las ou quando se sentem culpadas e como isso pode ter graves consequências no futuro quando a doença não é tratada logo no início.

Pode-se dizer que o livro de Crystal Chan é um livro INTENSO: doce ao extremo, triste, com grandes perdas, com um forte sentimento de culpa, com um amor intenso e muita sensibilidade.
E também posso afirmar: eu fiquei ainda mais intensa após concluí-la e é por isso que desde que a finalizei comecei a indicar a todos!

"A gente faz o melhor que pode, Joia, mas às vezes a triste precisa seguir seu curso natural. Pode levar muito tempo, dependendo do caso"

2 comentários:

  1. Aaah fico tão feliz que tenha gostado desse livro ♥

    http://my-lifeasabookaholic.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Adorei a temática, com certeza eu vou lê-lo.

    http://cantinhodeleitura2.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir