segunda-feira, 13 de junho de 2016

[RESENHA] GRAFFITI MOON - CATH CROWLEY


“Quase sempre, quando observo os trabalhos do Sombra e do Poeta, vejo algo diferente do que as palavras me dizem. É disso que gosto na arte, o que você vê às vezes diz mais sobre quem você é do que sobre o que está na parede. Olho para o grafite e penso que todo mundo guarda algum segredo, algo adormecido, como esse pássaro amarelo. ”



ISBN-13: 9788565859226
ISBN-10: 8565859223
Ano: 2014 / Páginas: 240
Idioma: português 
Editora: Valentina



SINOPSE

Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro.

Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa?

O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade.

A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida.

Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.



RESENHA

Pelas ruas da Austrália e com o grafite proibido vemos o lindo trabalho de "Sombra" e de "Poeta", dois artistas ilegais que descarregam todos os seus sentimentos, anseios e sonhos em muros da cidade.

Lucy ama a arte, vive a arte e seu maior sonho é conhecer esse tal de Sombra, que faz trabalhos que ela tanto admira, que sente o mundo de forma intensa, forma essa que ninguém  mais sente, que a ama a arte tanto quanto ela.

O que a garota não imagina é que ela já conhece Sombra e que ele na verdade o Ed, uma pessoa da qual ela não gosta nadinha...
O que passa menos ainda na sua cabeça é que aquele cara que sente e que faz coisas lindas na verdade tem uma vida onde tudo parece dar errado, onde ele não acredita mais no futuro nem em seu potencial... Não estuda mais, desempregado desde que seu chefe (e seu melhor amigo) morreu e sobrevive graças a pequenos furtos. O grafite e a sua arte na verdade são a sua válvula de escape, a sua forma de mostrar todas as suas frustrações.

Até que numa noite eles e mais alguns amigos se encontram e Lucy está determinada a encontrar Sombra. Uma noite que pode mudar tudo. A noite que Ed mais teme. A noite que Lucy mais sonha...
Essa noite tão temida por Ed pode ser a hora que ele finalmente volte a enxergar a luz que há muito 
tempo já não vê mais.

"Graffiti Moon" é um livro honesto!
Nele vemos diálogos profundos, intensos e francos. Vemos a importância que a arte tem em nossas vidas, a importância que vem das primeiras coisas, a importância do sentir. O livro também aborda a importância da família e de pessoas que te obriguem a enxergar o melhor que tem, mesmo quando você já não está mais disposto a abrir os olhos e enxergar por si só.

Ed é aquele personagem que você tem vontade de sair e dar um abraço, carregar no colo e levar para a casa. Lucy já é esperta, curiosa e cheia de sonhos, aquele tipo de garota que temos a certeza de que irá conseguir alcançar todos.

"Graffiti Moon" possui uma linda capa e aquela diagramação toda trabalhada na explicação, marca registrada da Editora Valentina.
Foi um livro que me ensinou muito e, principalmente, me ensinou a sentir.
Leitura leve, agradável, doce, inteligente e repleto de ensinamentos nele.

NOTA DADA NO SKOOB: ★ (5/5)


Nenhum comentário:

Postar um comentário