quarta-feira, 16 de agosto de 2017

[RESENHA] NADA MAIS A PERDER - JOJO MOYES




ISBN-13: 9788580579703
ISBN-10: 8580579708
Ano: 2016 / Páginas: 398
Idioma: português
Editora: Intrínseca





"Será que as coisas eram mesmo assim tão simples? Se você amasse tanto alguém, o seu ambiente deveria perder a importância e todos os sacrifícios que você fez deveriam desaparecer no passado?" 


SINOPSE



Na juventude, Henri Lachapelle foi um cavaleiro de raro talento, entre os poucos admitidos na academia de elite do hipismo francês, o Le Cadre Noir. Contudo, reviravoltas da vida o levaram da França a Londres, onde ele agora vive em um simples conjunto habitacional. Sem nunca abandonar o amor pela antiga carreira, aos trancos e barrancos Henri ensina a neta, Sarah, a montar o cavalo Boo, na esperança de que o talento da dupla seja o passaporte para uma vida melhor e mais digna para todos. Mas um grande golpe muda mais uma vez os planos de Henri Lachapelle, e Sarah se vê entregue à própria sorte, lutando para, além de sobreviver, cuidar de Boo e manter os treinamentos.

Natasha é uma advogada especializada em representar crianças e adolescentes envolvidos com crimes ou em situação de risco. Abalada emocionalmente e em dúvidas quanto a seu futuro profissional depois de um caso terrível, Natasha ainda tem de lidar com as feridas do fim de seu casamento. Um fim, diga-se de passagem, bem inusitado, já que ela se vê forçada a morar com o charmoso futuro ex-marido enquanto esperam a venda da casa da família.

Quando Sarah cruza o caminho de Natasha, a advogada vê na menina a oportunidade de colocar a vida de volta nos trilhos e decide abrigar a adolescente sob o próprio teto. O que ela não sabe é que Sarah guarda um grande segredo que lhes trará sérias consequências.




RESENHA


Sarah sempre teve um amor em comum com seu avô Henri: cavalos e tudo relacionado a esse mundo. Os dois vivem juntos em Londres, num simples conjunto habitacional, e treinam todos os truques de sua antiga carreira, hipismo, para que sua neta tenha o mesmo sucesso que ele teve no passado.
Até que a realidade brutal da vida chega e Sarah se vê totalmente perdida aos 14 anos, mas determinada a continuar seus treinamentos ao lado de Boo, seu amado cavalo e fará o que for possível para protegê-lo.

Natasha é uma advogava dedicada que vive para o trabalho, ainda mais depois de seu rompimento com Mac, sua área de especialização é a de crianças e adolescentes em situação de risco. Quando descobre que a situação em que Sarah esta vivendo, faz tudo o que pode para ajudar, mas sem conseguir arrumar um lar para a menina, ela e Mac os acolhem em sua casa (ela divide a sua casa com seu futuro ex-marido, deixando a sua vida ainda mais bagunçada).

Mesmo sem ter nada em comum, os caminho dessas duas personagens se cruzam criando uma relação que precisará de muita confiança em sua construção, mas como contar os seus segredos a alguém que você nem queria em sua vida?

Em "Nada mais a perder" somos apresentados a uma mulher fria, que não sabe expor seus sentimentos, uma adolescente rebelde que, mesmo tendo os seus motivos, acaba sendo chata demais, um futuro ex-marido encantador e mais um trabalho excelente de pesquisa da autora Jojo Moyes. A leitura nos traz algumas reflexões e principalmente a noção de que ninguém é feliz, nem consegue fazer algo sozinho, entretanto não consegui me conectar com as personagens principais e suas narrativas, o que tornou a leitura ainda mais maçante para mim. Não foi o meu livro favorito da autora, mas também não entrou na lista dos que menos gostei, então sai no lucro.
Recomendo a leitura desse livro para quem quiser se apaixonar por Boo como eu, pois foi o que mais gostei desse livro, uma estrela é só para ele.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

[RESENHA] NOVEMBRO 9 - COLLEEN HOOVER




ISBN-13: 9788501076250
ISBN-10: 8501076252
Ano: 2016 / Páginas: 352
Idioma: português
Editora: Galera Record


Achei que era mais forte do que uma palavra, mas acabei de descobrir que ter que dizer adeus a você é de longe a coisa mais difícil que tive que fazer?


SINOPSE

Autora número 1 da lista do New York Times retorna com uma história de amor inesquecível entre um aspirante a escritor e sua musa improvável.
Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor, bem no dia da sua mudança de Los Angeles para Nova York. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos – a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história de amor mesmo se terminar em corações partidos?



RESENHA

O dia 9 de novembro era um dia qualquer na vida da atriz adolescente Fallon, até o dia que, por descuido de seu pai, metade do seu corpo foi queimado em um incêndio. Depois disso 9 de novembro se tornou o aniversário do pior dia de sua vida... Isso até Ben aparecer.

Fallon conhece Ben da maneira mais estranha que alguém pode conhecer outro alguém: enquanto está indignada com as duras e insensíveis palavras do pai (que doem mais ainda por terem sido ditas no dia 9 de novembro) em um restaurante Ben chega magicamente e se transforma em seu namorado de mentira para livrá-la dessa situação embaraçosa. Fallon está indo para Nova York enquanto Ben estuda para ser escritor, eles se dão bem logo de cara e então criam um novo sentido para esse triste dia: no mesmo dia, no mesmo horário, no mesmo local, durante cinco anos eles irão se encontrar, não conversarão nenhum dia sequer, não trocarão números de celulares, apenas se encontrarão.
Será que essa ideia utópica dará certo ou a distância, problemas da vida e o passado dos dois pode acabar com esse mágico primeiro 9 de novembro que tiveram?

O livro é em 1° pessoa e possui os pontos de vista dos dois personagens, relatando apenas essa data. CoHo escreve de uma maneira que mesmo não vendo a rotina deles, podemos ver o crescimento, amor, dores e temos de cada personagem.

Fallon, você tem todo o meu coração!
Ela inicia a história de uma forma que vai cortar o seu coração, mas é lindo ver a forma que Fallon amadurece e se aceita, e isso é graças a Ben, que mesmo a encontrando apenas uma vez por ano a muda, a faz florescer novamente para a vida.

E essa é a lição mais linda que esse livro me trouxe: não precisamos ver ou conversar com a pessoa constantemente para manter sentimentos verdadeiros e recíprocos e esses sentimentos são capazes de criar o que há de melhor em nós.
E a cada página que passava via mais superação em Fallon e mais bordoadas da vida, mais decepções... Chorei junto com ela, senti a sua dor e chorei novamente cada vez que via a sua força. 
Tive uma relação de amor e ódio com Ben, amei Fallon desde o primeiro parágrafo e amei o livro, se tornou o meu segundo queridinho da Coho e eu o recomendo de olhos fechados (mas preparem o lencinho!).


"Achei que era mais forte do que uma palavra, mas acabei de descobrir que ter que dizer adeus a você é de longe a coisa mais difícil que tive que fazer?"

O dia 9 de novembro era um dia qualquer na vida da atriz adolescente Fallon, até o dia que, por descuido de seu pai, metade do seu corpo foi queimado em um incêndio. Depois disso 9 de novembro se tornou o aniversário do pior dia de sua vida... Isso até Ben aparecer.

Fallon conhece Ben da maneira mais estranha e vergonhosa que alguém pode conhecer outro alguém, afinal ele aparece do nada e se transforma em seu namorado de mentira para livrá-la dessa situação embaraçosa. Fallon está indo para Nova York enquanto Ben estuda para ser escritor, eles se dão bem logo de cara e então criam um novo sentido para esse triste dia: no mesmo dia, no mesmo horário, no mesmo local, durante cinco anos irão se encontrar novamente.
Será que essa ideia utópica dará certo ou a distância, problemas da vida e o passado dos dois pode acabar com esse mágico primeiro 9 de novembro que tiveram?

O livro é em 1° pessoa e possui os pontos de vista dos dois personagens, relatando apenas essa data. CoHo escreve de uma maneira que mesmo não vendo a rotina deles, podemos ver o crescimento, amor, dores e temos de cada personagem.

Fallon, você tem todo o meu coração!
Ela inicia a história de uma forma que vai cortar o seu coração, mas é lindo ver a forma que Fallon amadurece e se aceita, e isso é graças a Ben, que mesmo a encontrando apenas uma vez por ano a faz florescer novamente para a vida. Chorei junto com ela, senti a sua dor e chorei novamente cada vez que via a sua força enfrentando as bordoadas da vida. 
E essa é a lição mais linda que esse livro me trouxe: não precisamos ver ou conversar com a pessoa constantemente para manter sentimentos verdadeiros. E é essa verdade e amor podem transformar vidas,
Tive uma relação de amor e ódio com Ben, amei Fallon desde o primeiro parágrafo e amei o livro, se tornou o meu segundo queridinho da Coho e eu o recomendo de olhos fechados (mas preparem o lencinho!).

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

[RESENHA] A MORTE DE SARAI - J. A. REDMERSKI







"- Há uma grande diferença entre medo e incerteza, Sarai. Você não tem medo de nada, mas está incerta sobre tudo."



SINOPSE




RESENHA

Sarai tinha apenas 14 anos quando foi entregue por sua mãe a Javier, um grande chefão do tráfico no México. Outras meninas também estão com ela e são negociadas, sofrem abusos, estupros e violência física. Mas não Sarai, pois Javier está apaixonado por ela e por esse motivo a "protege" de algumas coisas.


Aos 23 anos o que ela mais sonha é conseguir fugir dessa fortaleza e ao ver um assassino americano contratado por Javier para matar um de seus inimigos vê a oportunidade de fuga e assim voltar ao seus país. Victor, o assassino, foi treinado por essa vida desde criança e por isso se tornou uma pessoa fria que só pensa em executar os trabalhos que lhe são propostos. Será que Sarai pode confiar nesse estranho que mexe tanto com ela ou ele só está a usando para conseguir o que quer de Javier?

"A morte de Sarai" é um New Adult, mas não pensem que se trata de um romance fofinho, cheio de quotes lindíssimos e suspiros. Não, não se enganem com essa série de J. A. Redmerski. Nesse livro não existem inocentes, não existe a confiança cega.

Eu já conheci a autora pela série "Entre o agora e o nunca", que continua sendo a minha preferida de Redmerski. Eu gostaria de ter mais informações iniciais sobre o cativeiro e o tráfico de mulheres e drogas de Javier, acho que assim teria me conectado mais com Sarai e teria deixado esse ponto do livro menos superficial. Já Victor eu amei demais e estou a procura de um assassino desses para a minha vida. Outro coisa que me fez gostar bastante da leitura foi o fato de ser aquele livro que você devora e só consegue terminar quando chega ao final!

Adorei o livro, mas senti falta de algo ao lê-lo, mas indico o livro mesmo assim e pretendo continuar a ler as sequências, pois o final desse livro deixa aquele gosto enorme de quero mais.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

[RESENHA] BIG ROCK - LAUREN BLAKELY



ISBN-13: 9788562409943
ISBN-10: 8562409944
Ano: 2017 / Páginas: 224
Idioma: português
Editora: Faro Editorial



"A notícia boa é que eu só preciso mentir por mais uns poucos dias.
A notícia ruim é que Charlotte e eu só teremos mais uns poucos dias de compromisso falso."



SINOPSE


“A maioria dos homens não entendem as mulheres.”

Spencer Holiday sabe disso. E ele também sabe do que as mulheres gostam.

E não pense você que se trata só de mais um playboy conquistador. Tá, ok, ele é um playboy conquistador, mas ele não sacaneia as mulheres, apenas dá aquilo que elas querem, sem mentiras, sem criar falsas expectativas. “A vida é assim, sempre como uma troca, certo?”

Quer dizer, a vida ERA assim.

Agora que seu pai está envolvido na venda multimilionária dos negócios da família, ele tem de mudar. Spencer precisa largar sua vida de playboy e mulherengo e parecer um empresário de sucesso, recatado, de boa família, sem um passado – ou um presente - comprometedor... pelo menos durante esse processo.

Tentando agradar o futuro comprador da rede de joalherias da família, o antiquado sr. Offerman, ele fala demais e acaba se envolvendo numa confusão. E agora a sua sócia terá que fingir ser sua noiva, até que esse contrato seja assinado. O problema é que ele nunca olhou para Charlotte dessa maneira – e talvez por isso eles sejam os melhores amigos e sócios. Nunca tinha olhado... até agora.



RESENHA


Spencer Holiday é simplesmente o melhor amante de Nova York, e ele sabe disso. Rico, lindo, sexy, conquistador... Ele sabe como tratar uma mulher, mas isso ainda nem é melhor parte do rapaz, a melhor parte é maior que 20 cm e chama muito a atenção do sexo oposto.

Porém por contas dos negócios do seu pai ele terá que passar por um moço de família e acaba se metendo em uma confusão, para escapar dessa e não estragar a venda milionária do seu pai ele decide inventar um falso noivado com sua melhor amiga Charlotte. Mas tudo bem, ele nunca a viu com outros olhos, ela nunca se interessou nele, são sócios, melhores amigos e vão continuar sendo assim após a finalização dessa pequena mentira... Essa é a parte racional que Spencer quer acreditar, mas quem disse que o amor é algo racional?

Venho por meio deste já avisar que essa resenha será polêmica: não gostei do livro queridinho do momento.
"Big rock" é um clichê total e eu amo histórias que possuam clichês, só que esse foi somente clichês e essa ainda nem foi a parte que menos gostei. Muitas pessoas o chamaram de clichê engraçadíssimo e sexy, mas eu só vi o clichê nessa afirmação. Não achei Spencer engraçado, e sim, ele é sexy, a baguetona é boa, as cenas de  baguete são boas, mas como ele se autoafirma o tempo todo, acabou ficando bem repetitivo. Mesmo adorando livros hots, o livro de Lauren Blakely não me cativou.


Como nada na vida é feito apenas de pontos negativos, esse livro também tem as suas qualidades: é uma leitura rápida, daquelas pra você ler quando esta numa ressaca literária e se você só esperar uma baguete, nada mais do que isso, vai gostar da leitura.
Recomendo o livro? Sim, mas não criem expectativas.

sábado, 8 de julho de 2017

[RESENHA] NOSSA MÚSICA - DANI ATKINS

Resultado de imagem para nossa musica livro dani atkins
ISBN-13: 9788580417258
ISBN-10: 8580417252
Ano: 2017 / Páginas: 368
Idioma: português
Editora: Arqueiro

"Nós nos despedimos daqueles que amamos milhares de vezes durante a nossa vida: a cada vez que saem pela porta de casa, a cada vez que desligamos o telefone, a cada aceno de adeus. Só não sabemos qual dessas despedidas será a derradeira. Não é para sabermos."


SINOPSE

Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte.

Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam.

Com a delicadeza tão presente em seus livros, Dani Atkins mais uma vez nos traz uma história de emoções à flor da pele, um drama familiar comovente que não deixará nenhum leitor indiferente.


RESENHA

Ally recebe um policial em sua casa enquanto faz a janta para o filho de 7 anos com uma triste notícia: seu marido Joe está em estado crítico na UTI após cair num lago congelado ao tentar salvar uma criança (e o cachorro dela também). Charlotte está na manicure e recebe a triste ligação: seu marido David está em estado crítico na UTI após sofrer um ataque cardíaco mesmo sendo tão jovem.

E é na sala de espera que as duas se encontram, ou melhor, se reencontram, pois Ally já vou uma musicista apaixonada pelo namorado David e acredita que ele a traiu com Charlotte, sua amiga até então. Mesmo após 9 anos e ambas terem construído famílias felizes, ainda existe muito ressentimento nessa história que claramente não ficou no passado, será que esse reencontro pode trazer perdão e cura para seus maridos ou apenas mais dor e mudanças drásticas?

Eu já havia lido os outros dois livros de Dani Atkins e posso dizer, com toda a certeza, que "Nossa música" é o melhor da autora!

Narrado em primeira pessoa pelas duas personagens e com flashbacks do passado e nos faz conhecer as duas, seus maridos e suas histórias. David e Charlotte são os riquinhos mimados que conseguem tudo o que querem na vida, já Ally e Joe são aqueles personagens cativantes que vão roubar seu coração. Eu fiquei completamente apaixonada pela construção desses dois personagens, mesmo conhecendo Joe apenas pelas memórias de Ally já fica nítido que se trata de um cara justo, apaixonado, honesto e com um coração enorme.

O final desse livro é completamente destruidor, eu chorei durante boa parte da madrugada e estou fazendo a resenha com lágrimas nos olhos, pois foi um livro que me tocou DEMAIS, que vem te mostrar como o perdão, a amizade e as famílias são importantes em nossa vida e como pequenos atos podem mudar totalmente a nossa vida. Os livros da Dani sempre possuem o seu clichê, mas nesse não me senti numa história literária e sim na vida real, com personagens reais e isso foi o que mais amei!



[RESENHA] SEIS ANOS DEPOIS - HARLAN COBEN



ISBN-13: 9788580412536
ISBN-10: 8580412536
Ano: 2014 / Páginas: 272
Idioma: português
Editora: Arqueiro




"Faria o que Natalie me pedira. Iria deixá-la em paz. Pensaria nela todos os dias, mas nunca telefonaria, não tentaria me aproximar nem a procuraria on-line. Manteria a promessa. Por seis anos."


SINOPSE


Jake Fisher e Natalie Avery se conheceram no verão. Eles estavam em retiros diferentes, porém próximos um do outro. O dele era para escritores; o dela, para artistas. Eles se apaixonaram e, juntos, viveram os melhores meses de suas vidas.
E foi por isso que Jake não entendeu quando Natalie decidiu romper com ele e se casar com Todd, um ex-namorado. No dia do casamento, ela pediu a Jake que os deixasse em paz e nunca mais voltasse a procurá-la.
Jake tentou esconder seu coração partido dedicando-se integralmente à carreira de professor universitário e assim manteve sua promessa... durante seis anos.
Ao ver o obituário de Todd, Jake não resiste e resolve se reaproximar de Natalie. No enterro, em vez de sua amada, encontra uma viúva diferente e logo descobre que o casamento de Natalie e Todd não passou de uma farsa.
Agora ele está decidido a ir atrás dela, esteja onde estiver, mas não imagina os perigos que envolvem procurar uma pessoa que não quer ser encontrada.
Em Seis Anos Depois, Harlan Coben usa todo o seu talento para criar uma trama sensacional sobre um amor perdido e os segredos que ele esconde.




RESENHA



Jake Fisher está no casamento de sua amada Natalie Avery. Ele não entende como ela pode ter se casado tão depressa, como pode ter se apaixonado por outra pessoa depois do romance intenso que teve anteriormente com ele, então vai ao casamento para ver com seus próprios olhos e acabar mais ainda com o seu coração e lá escuta o que mais dói no coração dos apaixonados: me deixe em paz, nunca mais me procure.
E ele cumpre essa promessa, por seis anos.


Seis anos depois, Jake já é um professor universitário e um dia, ao ler o jornal, se depara com a morte de Todd Sanderson, marido da Natalie, no obituário e então ele resolve ir ao velório pra dar uma força a ainda amada (na verdade, ele queria dar aquele "oi, sumida! Tudo bom?").  Ao chegar ao velório e ver a família de Todd em prantos ele descobre que Natalie não é a mulher dele no velório e então começa um busca louca atrás dela, uma busca que pode envolver muitos segredos, mentiras e muitos perigos. Será fácil encontrar alguém que não quer encontrada?

No livro "Seis anos depois" vemos um homem loucamente apaixonado, aquele tipo de paixão que nem seis anos foi capaz de amenizar, Jake é aquele herói romântico que irá fazer de tudo para proteger sua amada de todos os perigos, mesmo sem saber se ela está em perigo ou sem saber se o perigo é ela. Temos pouquissímas informações sobre Natalie, apenas que Jake é louco por ela e capaz de colocar a sua vida e a sua carreira em risco para descobrir o que realmente aconteceu naquele casamento há seis anos atras. Sim amigos, ele é tão apaixonado que chega a ser troxiane versão romance policial.

O ponto forte do livro foi o suspense, a amizade com Benedict e a forma como ele pode estar envolvido na história e a escrita de Harlan Coben, que sempre é boa! Mas não pude deixar de lembrar o tempo todo do livro "Não conte a ninguém" enquanto lia.

"Você fez uma promessa."

E eu faço uma promessa também: colocar mais obras desse autor incrível em minha lista de leituras.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

[RESENHA] O NAVIO DAS NOIVAS -JOJO MOYES




ISBN-13: 9788580579956
ISBN-10: 8580579953
Ano: 2016 / Páginas: 384
Idioma: português
Editora: Intrínseca



"Porque não há garantias, certo? Nada prova que esses homens e suas famílias vão nos aceitar, não é mesmo?"


SINOPSE


Austrália, 1946. É terminada a Segunda Guerra Mundial, chega o momento de retomar a vida e apostar novamente no amor. Mais de seiscentas mulheres embarcam em um navio com destino a Inglaterra para encontrar os soldados ingleses com quem se casaram durante o conflito.
Em Sydney, Austrália, quatro mulheres com personalidades fortes embarcam em uma extraordinária viagem a bordo do HMS Victoria, um porta-aviões que as levará, junto de outras noivas, armas, aeronaves e mil oficiais da Marinha, até a distante Inglaterra. As regras no navio são rígidas, mas o destino que reuniu todos ali, homens e mulheres atravessando mares, será implacável ao entrelaçar e modificar para sempre suas vidas.
Enquanto desbravam oceanos, os antigos amores e as promessas do passado parecem memórias distantes. Ao longo da viagem de seis semanas — apesar de permeada por medos, incertezas e esperanças — amizades são formadas, mistérios são revelados, destinos são selados e o felizes para sempre de outrora não é mais a garantia do futuro que foi planejado.
Com personagens únicas e uma narrativa tocante, Jojo Moyes conta uma história inesquecível que captura perfeitamente o espírito romântico e de aventura desse período da História, destacando a bravura de inúmeras mulheres que arriscaram tudo em busca de um sonho.


RESENHA


No prólogo estamos na Índia em 2002, onde uma avó passeia com a sua neta e reconhece o navio Victoria que marcou a sua vida há tantos anos atras...

Na Austrália em 1946, com o fim da Segunda Guerra Mundial, um navio repleto de noivas ou de mulheres já casadas, parte para Inglaterra afim de trazer o amor após tanta destruição e também o esquecimento de tudo o que aconteceu.
Nesse navio repleto de noivas conhecemos as nossas quatro protagonistas: Margaret, gravidinha mais linda que sente muito a falta da família, Frances uma enfermeira, muito leal as suas amigas, mas que possui um misterioso passado, Jean que é uma adolescente totalmente fora da casinha e por último Avice, chata mimada chata, rica, chata, mesquinha, chata, cheia de caprichos e chata.

Durante essas seis semanas de viagens amizades se formarão, destinos irão se cruzar, várias coisas acontecerão, muitos segredos serão expostos e você sempre irá se questionar: qual delas é a senhora do prólogo?

Tive muitas dificuldades para ler o livro "O navio das noivas" por diversos motivos, mas o principal foi a narrativa arrastada. Já estamos acostumadas com a escrita descritiva de Jojo Moyes e eu adoro isso, mas nesse livro não rolou, as coisas só começam a melhor na página 230.
A história é inspirada em fatos reais e fala sobre uma época na história que me interessa muito, por esse motivo foi uma leitura válida, porém foi muito cansativo e por isso não irei reler esse livro que, dentre as obras que já li da autora, foi o que eu menos gostei. Fui no skoob, li diversas resenhas e são todas positivas, estou me sentindo um E.T, mas não irei mentir pra vocês, pra mim o livro só ficou bom no final.
Me emocionei em algumas revelações, adorei Margaret e achei bonita a lição que o final do livro nos traz sobre ir atrás do que você tanta sonha e da importância do amor, por ele tudo vale a pena.

terça-feira, 4 de julho de 2017

[RESENHA] OUTROS JEITOS DE USAR A BOCA - RUPI KAUR




ISBN-13: 9788542209303
ISBN-10: 8542209303
Ano: 2017 / Páginas: 208
Idioma: português 
Editora: Planeta Brasil

"eu tive que ir embora

eu estava cansada
de deixar que você
me fizesse me sentir
qualquer coisa
menos que inteira"

SINOPSE

'outros jeitos de usar a boca' é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.


RESENHA



Você gosta de poemas?
Se sim, leia esse livro!

Você, assim como eu, gosta só um pouquinho?
Se sim, leia esse livro!

Você não gosta de poemas?
Se a sua resposta também for não, leia esse livro!



O livro "Outros jeitos de usar a boca" é dividido em 4 partes: a dor, o amor, a ruptura e a cura.

Nele vemos todos os estágios do amor desde o início em "A DOR" que começa lá atrás na nossa infância quando nós, mulheres, já somos condicionadas a amar errado, a priorizar o amor e a felicidade do outro e não a nossa, desde a infância aprendemos que as princesas fazem de tudo por seus príncipes e assim criamos "O AMOR", a próxima parte do livro, um amor totalmente dependente, lindo, sonhador, mas que nem sempre é recíproco e tão intenso, um amor que dói, que machuca, mas que não conseguimos viver sem, até chegar na "RUPTURA" e nos despedaçar por inteira, nos machucar ainda mais, traz todos os sentimentos femininos que nos derruba após os términos, mas ao mesmo tempo nos ensina a amar o resta da solidão: nós mesmas.

Quando chegamos na última parte do livro "A CURA" estamos realmente curadas, curadas de toda opressão que nos foi submetida, de todo o amor errado que sentimos e, principalmente curadas de amar a pessoa errada, curadas de procurar a nossa metade em outra pessoa quando sabemos que devemos ser inteiras.

Esse livro traz poemas que tocam, que ensinam e capazes de melhorar o mundo, pequenas frases que vão mostrar sutilmente, o empoderamento feminino que está a cada dia mais presente e mais lindo.
Esse livro, sem sombra de dúvidas, vai ser uma das minhas leituras do ano, vocês vão cansar de ver trechos dele por aqui e eu irei indicar sempre, para que eles transformem vocês em mulheres mais fortes e em homem conscientes, como também me transformou e me empoderou (aguenta essa agora, boy!)

"eu sei que é difícil
acredite
eu sei que parece
que amanhã não vai chegar nunca
e que hoje vai ser o dia
mais difícil de aguentar
mas eu juro você vai aguentar
a dor passa
como sempre
se você der tempo à dor e
deixar só deixar
pra lá
devagar
como uma promessa que se quebra
deixa pra lá"

segunda-feira, 3 de julho de 2017

[RESENHA] UMA JANELA PARA O CÉU - MARINA MACHADO


ISBN-13: 9788542810905
ISBN-10: 8542810902
Ano: 2017 / Páginas: 286
Idioma: português
Editora: Novo Século

"A dor nos faz chorar, sofrer e, às vezes, nos faz querer parar de viver até que algo surja e nos convide à vida de novo." 


SINOPSE

Julyana Barocci é o perfeito retrato da mulher contemporânea: ela é determinada, bem-sucedida e tem o emprego dos sonhos. Agora, aos 35 anos, percebe que conquistou tudo o que queria. Bem, quase tudo. Quando o assunto é relacionamentos, o retrato não é tão fiel assim.
Em Uma janela para o céu, Julyana narra com bom humor suas aventuras e inseguranças na busca por seu par ideal. Com o súbito aparecimento de seu pai desconhecido, ela descobre os fatos que a fizeram se separar do único namorado a quem amou de verdade – e de quem ficou separada por vinte anos.
Essa visitinha do passado veio para esclarecer questões mal-resolvidas ou para complicar a vida de Julyana de vez?



RESENHA

Quem vê Julyana Barocci por fora enxerga a mulher independente, focada no trabalho e realizada aos 35 anos de idade, a mulher que não precisa de mais nada para ser feliz. Quem a vê por dentro sabe que ela precisa de algo sim, na verdade não de algo, mas sim de alguém, Julyana está desesperada por um relacionamento duradouro e com comprometimento.

Mas tudo bem, esta tudo psicologicamente comprovado: o desequilíbrio emocional que possui é por não ter conhecido o pai e pela rejeição que sofreu ainda na barriga da mãe pela família que não aprovava a aventura de Carnaval que ela teve com um gringo desconhecido e que originou na gravidez de July.

Até que esse Romeu, seu pai, sai subitamente dos sonhos e aparece em sua vida, com uma história totalmente diferente dos fatos e trazendo ainda mais indagações a Julyana. Já que foi obrigada a reviver o passado com essa chegada, ela resolve adentrar mais ainda nele e procurar um antigo amor, o único amor que realmente foi verdadeiro para ela. Uma procura totalmente às cegas pode trazer à Julyana o que ela tanto procura?

Sabe quando você pega um livro na mão e ao terminar pensa "como eu precisava ler esse livro"?
Foi o que eu pensei ao terminar o livro de Marina Machado, uma obra leve, cheia de vida, de risos, cheia de carisma e que tocou o meu coração. Uma história que iniciei sem pretensão alguma, mas que terminei inundada de amor.

Eu precisava de um livro alto astral para perceber a beleza das coisas que ficam e "Uma janela para o céu" me mostrou isso, o quote escolhido para essa resenha foi o que mais me tocou por esse motivo. Meu coração se enche de alegria e agradecimento a Marina Machado por me apresentar sua obra e por ter sido transformada com suas palavras.

Eu super indico essa leitura, que não perde em nada para os livros gringos, que mostra as belezas do nosso Brasil, e eu amo autores brasileiros que falam do nosso país. Após ler esse livro constatei que agora preciso ir pra Ibitipoca encontrar a Janela para o céu!
(Esse lugar realmente existe, procurem no Google e se maravilhem com uma paisagem maravilhosa!)

segunda-feira, 19 de junho de 2017

[RESENHA] O SOL TAMBÉM É UMA ESTRELA - NICOLA YOON


ISBN-13: 9788580416589
ISBN-10: 8580416582
Ano: 2017 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Arqueiro


''É melhor ver a vida como ela é, e não como a gente quer que seja. As coisas não acontecem por algum motivo. Simplesmente acontecem.''


SINOPSE

Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova Yo
rk. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história.

Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois.

O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?


RESENHA

Dois opostos podem se atrair? É possível conhecer a pessoa certa na hora errada?
É com essas indagações que nos aventuramos na história de Natasha e Daniel.

Natasha é a pessoa de exatas que não acredita em acaso ou destino, ela é racional, científica e prática. Já Daniel é o ser de humanas (como não amar?), alma de poeta, romântico incurável, acredita no destino e em como ele é responsável pelas nossas vidas.

Logo que vê Natasha pela primeira vez, o coreano Daniel que esta se encaminhando para uma entrevista na Yale para ser a pessoa bem sucedida e sensata que seus pais tanto sonham, sente uma atração inexplicável pela garota e começa a segui-la, porém sem imaginar que esse é o último dia da garota nos Estados Unidos, ela e sua família serão deportados de volta para a Jamaica por um erro de seu pai, após viverem ilegalmente no país há anos.

Um único dia! É o que eles possuem, será quem em tão pouco tempo uma verdadeira história de amor pode surgir?

O livro "O sol também é uma estrela" foi escrito pela Nicola Yoon e eu estava super curiosa para lê-lo. A história se passa nesse dia tão importante na vida dos dois personagens, cada um por seu motivo, e é a narração é em primeira pessoa, mostrando o ponto de vista do casal de forma aleatória, algumas vezes também vemos personagens secundários narrando ou uma análise histórica de algumas palavras.
Esses detalhes fazem com que seja impossível não se apaixonar pela escrita da autora, não é convencional, não é clichê e é daquele tipo que te prende desde o início.

Eu AMO livros do gênero Jovem Adulto, mas nesse caso não consegui me conectar com toda a história de amor narrada por ele, acredito sim que em pouco tempo conseguimos criar relações verdadeiras com alguém, mas a forma cheia de intensidade para algo efêmero não me convenceu 100%.

Natasha para mim foi um diferencial dessa história e seu enredo se adapta ao mundo jovem, mas também faz com o que livro seja interessante a um adulto, pois é uma trama que nos remete a nossa vida, nossos sonhos, expectativas e nossas famílias.

Se eu recomendo? É uma história inspiradora e ótima para quem quer se curar daquela Ressaca Literária lendo algo leve e bem escrito.

terça-feira, 13 de junho de 2017

[RESENHA] ONZE LEIS A CUMPRIR NA HORA DE SEDUZIR - SARAH MACLEAN

Resultado de imagem para onze leis a cumprir

(Para ler a resenha do primeiro livro "Nove regras a ignorar antes de se apaixonar" clique AQUI. Para ler a resenha de "Dez formas de fazer um coração se derreter" clique AQUI)


ISBN-13: 9788580415315
ISBN-10: 8580415314
Ano: 2017 / Páginas: 336
Idioma: português
Editora: Arqueiro



'Ela passou os braços em torno do corpo e de repente pareceu tão... pequena. E frágil. O oposto do que ele costumava pensar sobre ela: uma pessoa brilhante e ousada e indestrutível. E, naquele momento, a raiva dele foi inteiramente dominada por um ímpeto básico e primitivo de envolvê-la em seus braços até que estivesse aquecida de novo."

SINOPSE

Juliana Fiori é uma jovem ousada e impulsiva, que fala o que pensa, não faz a menor questão de ter a aprovação dos outros e, se necessário, é capaz de desferir um soco com notável precisão. Sozinha após a morte do pai, ela precisa deixar a Itália para viver com seus meios-irmãos na Inglaterra.

Ao desembarcar no novo país, sua natureza escandalosa e sua beleza estonteante fazem dela o tema favorito das fofocas da aristocracia. Pelo bem de sua recém-descoberta família britânica, Juliana se esforça para domar seu temperamento e evitar qualquer deslize que comprometa o clã. Até conhecer Simon Pearson, o magnífico duque de Leighton.

O poderoso nobre não admite nenhum tipo de escândalo e defende o título e a reputação da família com unhas e dentes. Sua arrogância acaba despertando em Juliana uma irresistível vontade de desafiá-lo e ela decide provar a ele que qualquer um – até mesmo um duque aparentemente imperturbável – pode ser levado a desobedecer as regras sociais em nome da paixão.



RESENHA

"Quando você está por perto, eu esqueço de tudo de que devo me lembrar. De tudo o que devo ser.”

Juliana Fiori, a italiana irmã St. John de Gabriel e Nick, é impetuosa e impulsiva, não age de acordo com as regras da sociedade e menos ainda: com as regras da sociedade londrina. Juliana, apesar de tentar escapar de escândalos e de odiar se envolver em sociedade acaba sendo motivo para grandes fofocas nas mesas de bailes e isso nunca a incomodou tanto assim. Até conhecer Simon, o duque de Leighton.

O duque preza pelo nome de sua família e pela reputação intocada que eles sempre tiveram. Esse seu jeito arrogante e prepotente vai despertar um desejo fortíssimo em Juliana: provar que até mesmo um duque que só vê a vida passando à sua frente e se preocupa com o nome da sua família pode se apaixonar sem pensar nas regras da sociedade. Mas será que ela conseguirá fazer isso sem machucar o seu próprio coração? Será que esse desafio será capaz de superar até os segredos mais secretos deles?

No livro "Onze leis a cumprir na hora de seduzir" somos apresentados a história de Juliana e Simon, que já conhecemos nos livros anteriores da trilogia "Os números do amor". Esse foi o meu livro preferido dos três e eu vou dizer a vocês o porquê: nesse romance de época me senti como se fosse a vida real e todas as complicações que ela pode ter.


É uma leitura desprovida de qualquer clichê e que nos apresenta uma mocinha forte, que não liga para os pensamentos alheios, que sempre coloca a sua felicidade em primeiro lugar e defende aqueles que ama com unhas e dentes. O mocinho já é o indeciso, o que teme, o que foge, o frágil... O que pode despertar o ódio em alguns leitores, mas Simon e Juliana ganharam, infinitamente, meu coração!


É uma leitura leve, rápida e impossível de largar. Sarah MacLean finaliza a sua trilogia de forma encantadora e diferente, eu só tenho cada vez mais vontade de conhecer os outros livros dessa escritora que sempre coloca as suas personagens como mulheres fortes e empoderadas.
Se eu recomendo? Nem precisa perguntar...