segunda-feira, 24 de abril de 2017

RESENHA] CARTA DE AMOR AOS MORTOS - AVA DELLAIRA



ISBN-13: 9788565765411
ISBN-10: 8565765415
Ano: 2014 / Páginas: 344
Idioma: português 
Editora: Seguinte


"- O que falei sobre salvar as pessoas não é verdade.Você pode achar que quer ser salva por outra pessoa, ou que quer muito salvar alguém.Mas ninguém pode salvar ninguém, não de verdade.Não de si mesmo."


SINOPSE


Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.



RESENHA


No primeiro dia de aula do Ensino Médio Laurel recebe o seguinte trabalho: escrever cartas para alguém que já morreu. A adolescente começa a escrever para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, entre outros, mas sem a intenção de entregar as cartas que agora lotam seu caderno para sua professora. Nessas cartas ela conta o dia-a-dia em sua escola nova, sobre suas novas amizades, sobre o divórcio dos seus pais e a tragédia que aconteceu com sua irmã, May, e talvez essas escritas sejam os únicos momentos em que Laurel consegue olhar para o passado e para toda a sua culpa em paz, mas será que não está na hora de olhar para toda essa dor de frente?


O livro "Carta de amor aos mortos" foi uma leitura que me impressionou desde as primeiras páginas. Primeiro por eu ter me identificado com O LIVRO mesmo, pois sou uma pessoa 8 ou 80, eu amo ou odeio,  e esse livro é assim também, você ama ou odeia, e eu sou do time que o amou.


Laurel é uma menina amedrontada, que não se perdoou por coisas passadas e que, visivelmente, precisa de ajuda, precisa se abrir, conversar, falar... Nas cartas ela encontra confidentes que nunca contarão os seus segredos e assim consegue mostrar a eles sua verdadeira dor e assim não se sente mais tão sozinha. A cada carta que escreve vemos o desespero inicial, a mudança e o amadurecimento dela.


A escrita do livro é toda feita em cartas, assim como em "Simplesmente Acontece" e eu AMO esse tipo de escrita, eu AMO quem tem coragem e consegue fazer isso com maestria e é o caso de Ava Dellaira. Por mais que escreva de um jeito diferente, a autora te leva a conhecer todos os personagens, seus medos, suas dores e a sentir os mesmos sentimentos que eles.


Minhas cartas favoritas foram as para o Kurt Cobain, pela carga emocional que continham e as para Amy Winehouse, por amar suas músicas. É um livro muito musical, fica impossível ler sem escutar toda a playlist que o acompanha.


Deu para perceber o quanto eu amei esse livro? Mas o que mais amei, mais mesmo, é a relação das irmãs, amor tão grande que a culpa, o rancor e nem a morte foram capazes de destruir. Eu lia cada página pensando em minha irmã, que é a pessoa que eu mais amo no mundo, o livro já é emocionante por si só, lendo da forma que li fica mais impossível não ter o coração roubado por Ava.

Se eu recomendo? De olhos fechados!

segunda-feira, 17 de abril de 2017

[RESENHA] THE BEAUTY OF DARKNESS - MARY E. PEARSON



(Confiram a resenha do primeiro livro "The Kiss Of Deception" clicando AQUI e a do segundo livro "The Heart Of Betrayal" clicando AQUI)
ISBN-13: 9788594540270
ISBN-10: 8594540272
Ano: 2017 / Páginas: 576
Idioma: português
Editora: DarkSide Books


"Por fim, tive que afastar isso da cabeça. Passar tempo demais revivendo o passado não leva a lugar nenhum."


SINOPSE

A trilogia Crônicas de Amor e Ódio chega ao fim de maneira arrasadora. A história de Lia inspirou muitos leitores a embarcarem em uma jornada extraordinária repleta de ação, romance, mistérios e autoconhecimento, em um universo deslumbrante criado pela premiada escritora Mary E. Pearson, onde o poder feminino é a força motriz capaz de mudar e fazer toda a diferença no novo mundo em construção.

Lia sobreviveu a Venda, mas não foi a única. Um grande mal pretende destruir o reino de Morrighan, e somente ela pode impedi-lo. Com a guerra no horizonte, Lia não tem escolha a não ser assumir seu papel de Primeira Filha, como uma verdadeira guerreira — e líder.

Enquanto luta para chegar a Morrighan a tempo de salvar seu povo, ela precisa cuidar do seu coração e seus sentimentos conflituosos em relação a Rafe e as suspeitas contra Kaden, que a tem perseguido. Nesta conclusão de tirar o fôlego, os traidores devem ser aniquilados, sacrifícios precisam ser feitos e conflitos que pareciam insolúveis terão que ser superados enquanto o futuro de todos os reinos está por um fio e nas mãos dessa determinada e inigualável mulher.


RESENHA

{Pode conter spoilers dos livros anteriores}

Após a fuga dramática de Venda, Lia, Rafe e seus melhores soldados (e também melhores amigos) começam a partir rumo a Dalbreck, na esperança do Komizar estar morto e de tentar instalar paz nos reinos de ambos desmascarando todos os que compactuaram com o terrível líder vendano.

Porém o reencontro com Kaden pode trazer muitas descobertas: sim, ele é fiel a Lia, o Komizar além de vivo está à caça da cabeça da princesa Jezelia, os reinos estão correndo mais riscos do que imaginam, a lista de traidores que Lia pensava ter não é nada perto do que realmente são e muitas vezes ela não poderá confiar em ninguém, nem em seu próprio coração.

No terceiro e último livro das Crônicas de Amor e Ódio vemos que Lia realmente é EMPODERADA! Sabe aquela personagem que te cativa de um jeito pela coragem, força, determinação e por não desistir nunca, nem quando sabe quão cruel pode ser o destino? Então, ela me cativou por esses adjetivos e por, inúmeras vezes, colocar os reinos em cima de sua própria felicidade. Nesse volume também vemos o crescimento de muitos personagens, como Rafe, meu shipper, e todo o seu cuidado com Lia, Pauline e sua leal amizade e Kaden que irá conquistar o coração até daqueles que não tinham conseguido perdoá-lo, assim como eu. 

Quem espera muito romance e declarações, é melhor já tirar o cavalinho da chuva, pois no terceiro e último volume das Crônicas de Amor e Ódio vemos luta, vemos traições, vemos laços inquebráveis de lealdade e coragem para lutar por um bem maior do que nossa própria vontade,não há tempo para romance demasiado.

Algo que me incomodou durante a leitura foram os "erors ed digtiaçoã" que ele contém, que não são poucos, porém entendo que a DarkSide em menos de um ano publicou toda a trilogia para não matar nenhum leitor de ansiedade, e por esse detalhe, estão perdoados haha espero que arrumem os erros nas próximas edições.

Preciso confessar que foi triste dar adeus a essa história e que já até reli o livro de tantas saudades que senti. Com certeza os livros de Mary E. Pearson serão guardados com carinho na minha estante e no meu coração, e seus personagens ficarão gravados como alguns dos meus personagens favoritos na literatura.


quarta-feira, 5 de abril de 2017

[RESENHA] O ROUXINOL - KRISTIN HANNAH


ISBN-13: 9788580414677
ISBN-10: 8580414679
Ano: 2015 / Páginas: 432
Idioma: português
Editora: Arqueiro

"Se há uma coisa que aprendi nesta minha longa vida foi o seguinte: no amor, nós descobrimos quem desejamos ser; na guerra, descobrimos quem somos."



SINOPSE

França, 1939: No pequeno vilarejo de Carriveau, Vianne Mauriac se despede do marido, que ruma para o fronte. Ela não acredita que os nazistas invadirão o país, mas logo chegam hordas de soldados em marcha, caravanas de caminhões e tanques, aviões que escurecem os céus e despejam bombas sobre inocentes.
Quando o país é tomado, um oficial das tropas de Hitler requisita a casa de Vianne, e ela e a filha são forçadas a conviver com o inimigo ou perder tudo. De repente, todos os seus movimentos passam a ser vigiados e Vianne é obrigada a fazer escolhas impossíveis, uma após a outra, e colaborar com os invasores para manter sua família viva.
Isabelle, irmã de Vianne, é uma garota contestadora que leva a vida com o furor e a paixão típicos da juventude. Enquanto milhares de parisienses fogem dos terrores da guerra, ela se apaixona por um guerrilheiro e decide se juntar à Resistência, arriscando a vida para salvar os outros e libertar seu país.
Seguindo a trajetória dessas duas grandes mulheres e revelando um lado esquecido da História, O Rouxinol é uma narrativa sensível que celebra o espírito humano e a força das mulheres que travaram batalhas diárias longe do fronte.
Separadas pelas circunstâncias, divergentes em seus ideais e distanciadas por suas experiências, as duas irmãs têm um tortuoso destino em comum: proteger aqueles que amam em meio à devastação da guerra – e talvez pagar um preço inimaginável por seus atos de heroísmo.



RESENHA


Em 1939, durante a Segunda Guerra Mundial, os maridos franceses foram convocados para se apresentarem em defesa do seu país, enquanto a França era dominada pelo exército alemão, conhecemos duas irmãs que lutam contra essa ocupação de diferentes formas e com personagens diferentes. O que Vianne tem de cuidadosa e sensata, Isabelle tem de impulsiva e destemida.

Vianne ao se despedir de seu marido, convocado para a guerra, se preocupa em proteger o seu filho e fará qualquer coisa para isso, até mesmo conviver com um soldado alemão que ocupa a sua casa. Já Isabelle, como a rebelde que é, se junta a um grupo de rebeldes e passa a viver uma vida dupla ajudando os sobreviventes e lutando contra o grupo nazista.

As duas irmãs desejam a mesma coisa, porém cada uma assume um papel perante a luta contra o nazismo, não existe um papel menos importante do que outro, apenas papéis diferentes que as pessoas precisam assumir em momentos desesperadores como os de uma guerra tão cruel.

O livro "O rouxinol" é uma leitura imensamente sensível que me fez chorar por dias e até me traz lágrimas aos olhos, é um livro que mostra a linha tênue que divide o bem e o mal no ser humano, um livro que mostra como foi a Segunda Guerra na perspectiva francesa e que mostra a força das mulheres, um livro com personagens tão bem construídas que é impossível não admirar no caso de Isabelle ou não se identificar no caso de Vianne.

Foi impossível não amar e não me emocionar com a leitura, recomendo esse livro de olhos fechados, mas já aviso: prepare o seu coração, pois Kristin Hannah não brinca em serviço, não pensem que é apenas mais um livro sobre Guerra, é muito mais que isso...

terça-feira, 4 de abril de 2017

[LIDOS NO MÊS] MARÇO E SUAS LINDAS LEITURAS


Oi, gente!
Março chegou ao fim e com ele eu mostro os 8 livros e 2 mangás que li no mês, totalizando 10 lindas leituras e nesse mês não teve nenhuma que não me agradece, grazadeus 🌸
Vou colocar, como sempre, na ordem de predileção:


- Érica (4🌟): uma ótima teoria de consipiração e um plot twist muito bom também, só tirei uma estrela por achar os adolescentes de 15 anos muitos fo$&@?;


- A prisão do rei (4🌟): Nesse livro temos uma Mare mais humana e a certeza dos sentimentos, só tirei uma estrela porque amo os finais da Victoria, mas acho que nesse queria que ele pegasse fogo desde o início, sabe?!;


- Rio de tinta (5🌟): uma obra de arte em páginas, me fez chorar e morrer de amores;


- Quando finalmente voltará a ser como nunca foi (5🌟): aquele livro que te tira da zona de conforto, que te faz rever e refletir e ser diferente;


- O lado feio do amor (5🌟): MILES É MILES, NÉ?! Eu já havia lido esse livro, mas a minha edição veio sem final e agora eu posso dizer: QUE LIVRO LINDO!;


- O príncipe dos canalhas (5🌟): um recinto da Bela e a Fera e um dos romances históricos mais lindos que já li na vida! Uma história que ficará guardado no meu coração;


- O cão que guarda as estrelas (5🌟) e O outro cão que guarda as estrelas (5🌟): dois mangás que nos mostra a lealdade e a importância que os bichinhos de estimação possuem em nossa vida, no primeiro uma história emocionante e triste, no segundo toda a fofurice do mundo... Estou cada vez mais apaixonada por esse gênero;



E os favoritos do mês (e tbm serão favoritos da vida) foram:


- O rouxinol (5🌟): uma das histórias mais emocionantes que já li, Kristin Hannah tem esse poder, vemos protagonistas fortes, mas cada uma com a sua força, cada uma com a sua lição de vida!;


- A traidora do trono (5🌟): UM TIRO ATRAS DO OUTRO, ALGUÉM ME AJUDA A SEGURAR ESAA BARRA QUE É GOSTAR DE VOCÊ, DIGDIGDIGEEE. Achei esse livro imensamente melhor que o primeiro e foi uma das melhores fantasias que já li na vida, meu problema com o primeiro livro foi ter sacado tudo desde o início e já nesse fui surpreendida a cada página! Já estou enlouquecendo porque quero o terceiro e último livro logo!



E vocês, gostaram das leituras de Março?

segunda-feira, 3 de abril de 2017

[RESENHA] RIO DE TINTA - ANA CAROLINA LATTARULLI


ISBN-13: 9788542809602
ISBN-10: 8542809602
Ano: 2017 / Páginas: 288
Idioma: português
Editora: Editora Novo Século

"O amor é como uma promessa. Se feita pelo coração, dura para sempre."
SINOPSE

A roseira que cresce na beirada do rio e o barulho de um corpo batendo contra a água, muitos metros abaixo da ponte, assombram seus pensamentos durante a noite. Entre flashbacks, psicólogos, desenhos deixados para trás e uma morte ocorrida em circunstâncias misteriosas, Ally Clouds começa a descobrir quem ela realmente é e qual das pessoas ao seu redor está mentindo. A Nova Zelândia é encantadora, cheia de magia e de pessoas de bom coração; ninguém jamais suspeitaria de nada acontecendo por ali. Ninguém a não ser Michael Orhan. Ele sabe que há algo errado com a vida de Ally, e, mesmo contra a vontade dela, aproxima-se novamente depois de ela passar oito meses estudando em casa, devido a acontecimentos desafortunados. A mística casinha depois da ponte que passa logo acima do rio torna-se o único refúgio dos dois. Sem perceber, acabam sendo arrastados para dentro de algo ainda mais profundo do que o esperado. Ela não sabia que a proximidade de Michael traria graves revelações a ponto de ter de repensar sua vida. Do pior jeito possível, ela aprende que as pessoas nem sempre são o que parecem, e que as suas feridas jamais cicatrizariam completamente.

RESENHA

Ally Clouds está em busca do seu recomeço, com tintas e cores ela tenta superar seus traumas: o fim de um relacionamento e a perda da mãe. Ninguém parece entender Ally, e nem querem entender a mistura aquarela que a garota é. Até Michael Orhan aparecer.
Michael vai contra tudo o que as pessoas dizem, contra todos os avisos para não se aproximar de Ally e mostra à garota que ela pode voltar a confiar em alguém, que agora ela terá alguém para se apoiar e a ajuda a superar a perda da mãe. Um relacionamento lindo surge, daquele tipo que é impossível não amar.
Além do apoio emocional, Michael também ajuda Ally a tentar descobrir o que realmente aconteceu com a sua mãe e assim eles irão descobrir que estão mais ligados do que imaginam...
Em seu primeiro romance, a xará Ana Carolina Lattarulli já vem nos conquistando com uma escrita leve, fluída que envolve mistério, romance, fantasia e arte. O livro É uma arte! É uma inspiração e um tapa na cara daqueles que julgam autores brasileiros ou jovens autores. A autora irá completar 18 anos agora em abrl (arianos, melhores pessoas) e mostra que talento, dedicação e amor no que faz, não precisa de idade.
Eu amei o epílogo desse livro, mesmo ele tendo me destruído e me feito chorar mais do que o Rio descrito no título da estória, e isso foi o que mais me fez amar o livro "Rio de tinta", quando uma história é linda e emocionante, ela simplesmente é e por isso conquistou o meu coração.