quarta-feira, 2 de agosto de 2017

[RESENHA] A MORTE DE SARAI - J. A. REDMERSKI







"- Há uma grande diferença entre medo e incerteza, Sarai. Você não tem medo de nada, mas está incerta sobre tudo."



SINOPSE




RESENHA

Sarai tinha apenas 14 anos quando foi entregue por sua mãe a Javier, um grande chefão do tráfico no México. Outras meninas também estão com ela e são negociadas, sofrem abusos, estupros e violência física. Mas não Sarai, pois Javier está apaixonado por ela e por esse motivo a "protege" de algumas coisas.


Aos 23 anos o que ela mais sonha é conseguir fugir dessa fortaleza e ao ver um assassino americano contratado por Javier para matar um de seus inimigos vê a oportunidade de fuga e assim voltar ao seus país. Victor, o assassino, foi treinado por essa vida desde criança e por isso se tornou uma pessoa fria que só pensa em executar os trabalhos que lhe são propostos. Será que Sarai pode confiar nesse estranho que mexe tanto com ela ou ele só está a usando para conseguir o que quer de Javier?

"A morte de Sarai" é um New Adult, mas não pensem que se trata de um romance fofinho, cheio de quotes lindíssimos e suspiros. Não, não se enganem com essa série de J. A. Redmerski. Nesse livro não existem inocentes, não existe a confiança cega.

Eu já conheci a autora pela série "Entre o agora e o nunca", que continua sendo a minha preferida de Redmerski. Eu gostaria de ter mais informações iniciais sobre o cativeiro e o tráfico de mulheres e drogas de Javier, acho que assim teria me conectado mais com Sarai e teria deixado esse ponto do livro menos superficial. Já Victor eu amei demais e estou a procura de um assassino desses para a minha vida. Outro coisa que me fez gostar bastante da leitura foi o fato de ser aquele livro que você devora e só consegue terminar quando chega ao final!

Adorei o livro, mas senti falta de algo ao lê-lo, mas indico o livro mesmo assim e pretendo continuar a ler as sequências, pois o final desse livro deixa aquele gosto enorme de quero mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário